julho 13, 2009

” A quebra de uma situação não significa a falta de amor, mas sim a necessidade de descobrir o novo”.

Salve Santa Luzia!!!

Santa Luzia a luz do dia clareou
E me fez ver a vida com muito mais cor
Abandonado, apaixonado, magoado
Quase morro afogado
Nesse imenso mar de amor

Santa Folia foi quem me remediou
Santo remédio pra que tem um desamor
E a madrugada enluarada iluminada
A mais alva doce amada que o meu coração ganhou

No fundo dos teus olhos pude ver
Que o meu amor não tem valor para você
Tem coisas que não dá para enxergar
Fiquei cego de amar com a luz do teu olhar,

Tanto querer me fez sofrer
Me dei demais sem receber
Sofrer assim não tem porque
Quero sorrir e ver a paz brilhar outra vez.

tem duas questões que chamaram minha atenção no filme.

primeiro o óbvio :

em algumas situações não é necessário muito estudo para ser um vencedor, mas sim, experiência de vida.

O filme se passa com garotos indianos que vivem numa favela. Passaram por todas as dificuldades que, nós brasileiros, conhecemos, afinal, é só virar o rosto para o lado. Não tiveram estudo, família, comida, higiene básica.

Um deles não sei se por coincidência, por atenção, predestinação, enfim … captou e guardou cada momento da sua vida, seja ele difícil, descontraído, triste, alegre …

Esse fato foi mais que útil lá na frente, quando ele ganhou as 20 mil rúbias num programa de TV.

O segundo ponto que chama a atenção é o fato do rapaz ser apaixonado por uma garota desde a infâcia. Nos desencontros da vida, eles se perderam. Ela se envolveu com caras da pesada mas ele nunca desistiu de encontrá-la.  Nessa maratona, ele a encontrou casada com um bandidão. Por amor, sempre amor, conseguiu entrar na casa deles e, resumindo, soube que a garota gostava do programa Quer Quer Ser Um Milionário?

O rapazinho então, com todo seu amor pensou.

“Vou me inscrever no programa favorito dela. Eu sei que ela vai me assistir. E, quem sabe…”

Óbvio que ela assistiu, óbvio que ele ganhou, óbvio que eles ficaram juntos.

A intenção dele não era o dinheiro ( o que foi muito bem vindo, claro!) mas sim, a garota.

Olha que lindo, que fofo, que superior, que … que … aí, aí …

Agora eu páro e penso … “Só em filme mesmo”.

Bom, foi só uma observação que veio à  lembrança de quem, realmente, não tinha nada para falar.

Agora, dá uma corrida até o cinema mais próximo e assista, pô!

março 19, 2009

“Se tudo existe é porque sou. Mas por que esse mal estar? É porque não estou vivendo do único modo que existe para cada um de se viver e nem sei qual é. Desconfortável. Não me sinto bem. Não sei o que é que há. Mas alguma coisa está errada e dá mal estar. No entanto estou sendo franca e meu jogo é limpo. Abro o jogo. Só não conto os fatos de minha vida: sou secreta por natureza. O que há então? Só sei que não quero a impostura. Recuso-me. Eu me aprofundei mas não acredito em mim porque meu pensamento é inventado”.

(Clarisse Lispector)

Aborto????

março 9, 2009

O caralho!!!!

Muito me deixa de boca aberta esse bando de feminista que mais parecem um bando de machadões, querendo medir peso com os homens.

Faça-me o favor!!!

Mulheres de verdade defendem direitos específicos, nunca generalizado, mesmo porque, nunca serão e nem devem ser iguais aos dos homens. Somos essencialmente,  geneticamente, emocionalmente diferentes.  E ponto.

Não sou mulherzinha, a tal da Amélia (o que não é de todo ruím, rs) mas também não apoio um monte de baboseiras que as feministas defendem por aí.

O mais gritante pra mim é a questão do  ABORTO.

Óbvio que o defendo em casos específicos. Como por exemplo, o caso da garotinha de nove anos do Recife, que foi estuprada pelo padrasto e ficou grávida…de gêmeos.

(parenteses para a Igreja Católica… que papelão!)

mas, enfim…abortos em caso de risco de vida para ambos, defeitos congênitos, estupros.  Isso, com certeza, é um caso para impedir a continuação de uma gravidez.

Agora, vamos legalizar, porque eu  sou responsável pelo meu corpo. Eu decido.  Se quiser abortar, eu aborto.

Somos sim responsáveis pelo nosso corpo…

na hora de fazer uma lipospiração, silicone nos seios, uma tatuagem, transar com quem quiser . Isso sim é 100% de decisão que cabe somente a nós. Afinal, é o nosso corpinho que esta ali. Só o nosso.

Agora abortar?

Vem cá, não estamos lidando, decidindo também por outra vida?

Egoísmo puro. Que raivaaaaaaaaaa!!!

Legalizando vai ser uma festa. Vamos dar, liberar geral. Se eu engravidar, posso abortar mesmo.

Em um século que quase não se tem meios de prevenção à gravidez, né? (anticoncepcional, preservativo, até a pílula do dia seguinte) affff…. é  rídiculo, chega a ser vergonhoso, sair às ruas exigindo esse “assassinato”.

Tô revoltada sim.

Segura a periquita. Ninguém pede para nascer, nós provocamos isso.

Então feministas, a solução não é o aborto. É  consciência, bom senso e respeito.

Exigir legalização do aborto é abortar o que de mais lindo todo ser humano tem direito… AVIDA.

aborto

março 4, 2009

ele merece descanso.

ele merece descanso.

ter carro tem os seus benefícios.

não tê-lo também.

ou seja,  ganho ou perco, quase na mesma proporção,  estando motorizada, ou não.

uma das coisas mais tristes para mim em ter carro,  é o fato de que ninguém, nunca mais, veio me buscar em casa.

não sei mais o que é esperar na janela a minha carona ou o meu namorado.

encontro com amigos. ” Te espero no bar “tal”.

encontro com namorado. “Passa aqui em casa”.

e dá-lhe euzinha, com meu carrinho, seguindo rumo aos encontros.

sou sempre a primeira a sair e a última a chegar em casa.

tenho que buscar, tenho que levar.

sempre volto sozinha. nunca posso beber na proporção que gosto. meu tanque sempre tem que estar cheio.  óleo e água em dia. estepe ok. dinheiro para o estacionamento e boa vontade.

que saco!

meu pedido:

alguém pode me fazer um pouquinho mais feliz me pegando em casa, me levando de volta e não reclamar da distância, da preguiça, etc, etc. ? alguém me deixa ser SÓ passageira? alguém pode dar férias ao meu carro?

janeiro 27, 2009

rosa-desabrochada

desabrochei.

pronto!

me aceitei.

assim como as rosas se transformam no momento que desabrocham, ficam mais lindas, mais vivas e maduras, é assim que me sinto.

é o auge na vida de uma rosa.  um estágio inevitável.

porém, ela tem que aproveitar, afinal o tempo é seu inimigo.

é …

a natureza bela em alguns momentos e ingrata em outros.

quando a rosa atinge seu ponto máximo, ela tem pouco tempo de vida.

mas, mesmo assim é o melhor momento!

diferente dos humanos.

aceitar esse desabrochar é o início de tudo.

desabrochei, amadureci e quero ** aproveitar essa fase.

o momento é esse.

quem embarca comigo???

desabrocha aí, porra!!! rs

**  aproveitar é algo muito íntimo. e cada um faz da sua maneira.